Diferenças entre o Shuai Jiao da China e do Brasil


Você sabe o que é Shuai Jiao (também conhecido como Shuai Chiao)? Não! Então, CLIQUE AQUI e saiba mais.

Quem pratica Shuai Jiao, principalmente quem compete, já está acostumado com as regras desta modalidade de combate do Kung Fu. Porém, podemos encontrar diferenças entre as regras utilizadas em campeonatos aqui no Brasil e as dos campeonatos realizados pelos Chineses. Para sabermos mais sobre essas diferenças, nada melhor que conversarmos com quem realmente sabe sobre o assunto. Veja abaixo uma breve conversa que tive com o Shifu Diego de Souza, responsável pela Academia Filhos do Tigre de Shuai Chiao e discípulo direto do Grão Mestre Roger Soo, além de ser o representante do Grão Mestre aqui no Brasil.

ES Kung Fu – Shifu Diego, conte-nos um pouco sobre a sua história dentro do Shuai Jiao. Quando você começou a treinar? Quando conheceu o Grão Mestre Roger Soo? Como foi a sua trajetória até hoje?
Shifu Diego – Com 12 anos de idade, me matriculei na Associação Josenir Garra de Tigre de Kung-Fu, foi a minha primeira vivência nas artes marciais. Com foco e determinação, já nos meus primeiros seis meses de luta, consegui a graduação como faixa cinza, o que desencadeou uma vontade imensa de crescer e vencer os meus próprios desafios me tornando, quem sabe um dia, um campeão. Desta forma, fui evoluindo e alcançando as demais graduações. Após dois anos de persistência, já na faixa azul, me senti finalmente preparado para o meu primeiro campeonato, não muito confiante, mas preparado o suficiente para que isso não fosse um empecilho. Este campeonato serviu de início como experiência e motivação, pois foi a participação nele que me fez treinar arduamente para a segunda competição, onde fui campeão pela primeira vez. Meus títulos foram aumentando conforme minha evolução, o tempo passava e a minha sede por mais conquistas se alimentava, e a próxima e mais almejada seria a tão sonhada graduação de faixa preta. Depois de sete anos, em 2010, alcancei a graduação como faixa preta e, então, foquei no meu próximo passo, que seria a conquista de ter a minha própria academia, que alcancei dois meses depois. Depois de mais 4 anos de treino e aperfeiçoamento, recebi do Grão Mestre Li Wing Kay a graduação de faixa preta 1° Tuang de Shuai Chiao no estilo Tiensin e no estilo do Grão Mestre Daniel Weng, Baoding. Em 2015, recebi um convite do Mestre Genival José da Silva, vindo do Grão Mestre Li Wing Kay, me chamando para compor a Seleção Brasileira de Shuai Chiao e para disputar o campeonato Mundial em Wenzhou – China. Foi então que conheci o Grão Mestre Roger Soo, ele foi meu vizinho de quarto, trocamos contato e logo comecei a fazer perguntas sobre o Shuai Chiao. Quando voltei ao Brasil, tive sede de saber mais sobre o Shuai Chiao e resolvi me desligar da minha linhagem por motivos particulares. Foi então que comecei a estreitar o contato com o Grão Mestre Roger Soo e ele, sendo muito humilde, sábio e tendo muita técnica, começou a me aconselhar via redes sociais. Em 2017, ele me convida para ir até Taipei-Taiwan para ter treinamentos específicos de Shuai Chiao Kuai Jiao. Foram meses de treinamentos duríssimos de segunda a sábado, 4 horas por dia, e, no final dos treinamentos, o Grão Mestre Roger Soo me surpreendeu falando que eu estava pronto para ser o representante dele no Brasil. Fiquei muito feliz. Foi quando ele me graduou a faixa preta 5° Tuang de Shuai Chiao Baoding Kuai Jiao, confesso que fiquei com medo ao receber uma responsabilidade tão grande, representar um dos maiores mestres de Shuai Chiao na atualidade, Roger Soo foi aluno direto do lendário Sheng Tung Chang.

ES Kung Fu – Como foi disputar o Campeonato Mundial de Shuai Jiao na China? O que você pode nos contar desta grande experiência?
Shifu Diego – O Campeonato Mundial foi incrível, uma das coisas que vou lembrar sempre, sou muito grato ao Mestre Josenir Silva e ao Mestre Genival José da Silva que me ajudaram, me treinaram para este campeonato. Agradeço também ao Grão Mestre Li Wing Kay por me dar a oportunidade. Eu lutei a minha primeira luta com um italiano bem experiente, o resultado foi 4 a 2 para ele. A minha segunda luta, fiz com um americano e o resultado foi incrível, foi 12 a 2 para mim. Mas, a melhor luta foi a terceira. Eu e a delegação inteira do Brasil já estávamos no ônibus para ir para o hotel, pois tinham me passado que minhas lutas já tinham terminado e que eu não lutaria mais, então, no ônibus me deu uma imensa vontade de ir ao banheiro, fui pedir ao Mestre Genival, recebi a autorização dele e, ao chegar ao ginásio, o italiano com quem fiz a primeira luta estava a minha procura desesperado, pois disse que eu iria fazer minha terceira luta com um membro da sua equipe. Eu estava sem técnico, pois estavam todos no ônibus e, como era muito longe do ginásio ao estacionamento, não iria dar tempo de chamar. Foi então que fui até o mestre Jan-Yu Weng, técnico da Seleção dos Estados Unidos, filho do grão mestre Daniel Weng, e pedi para ele ser meu técnico, ele humildemente aceitou o meu pedido e, por incrível que pareça, era a última luta do campeonato e todas as atenções estavam voltadas para a minha luta. Eu abri o placar de pontuação e, logo, o italiano empatou. Eu, em seguida, virei e foi uma luta bem pegada e emocionante. Acabamos o primeiro round empatados. No segundo round, ele abriu vantagem e, em seguida, fui buscar o empate. Estava 6 a 6, eu estava ganhando pois, era o cabeça de chave e o mais leve, faltavam apenas 30 segundos e eu olhei para o Mestre Jan-Yu Weng, ele fez um sinal para atacar e eu fui sem medo de ser feliz pois, a luta estava ganha. Mas, por um pequeno vacilo meu, eu entrei o golpe muito longe, o italiano apenas levantou a perna e eu caí lentamente. Quando toquei o chão, o gongo bateu finalizando a luta, eu olhei para o marcador de pontos e vi que tinha validado o ponto do italiano. Ainda no chão, comecei a chorar e me lamentar pelo erro cometido, foi aí que para minha surpresa o ginásio inteiro se levantou e começou a gritar: “Brazil! Brazil! Brazil!”, todos batendo palmas, foi aí que as lagrimas caíram mais ainda, mas desta vez eram de felicidade vendo o apoio de toda a torcida. Esta cena jamais saíra da minha cabeça, perdi a luta, mas ganhei a todos. Após a luta, várias pessoas no ônibus e no hotel vinham me cumprimentar, dando parabéns pela luta, fiquei muito honrado e feliz.

ES Kung Fu – Sabemos que as regras de competição usadas no Campeonato Mundial e na China são um pouco diferentes das regras usadas em alguns eventos aqui no Brasil. Quais são estas diferenças?
Shifu Diego – Realmente as regras são um pouco diferentes das regras da China. As regras na China podem usar articulações, torções, batidas, explosão de golpes, pode-se golpear quase todo o corpo do adversário, o único lugar proibido é a face e a parte íntima. Já no Brasil, existem várias regras, por exemplo, não se pode usar as articulações, chutes rasteiros, etc.

ES Kung Fu – As diferenças nas regras atrapalham os lutadores brasileiros que competem na China ou no mundial de Shuai Jiao?
Shifu Diego – Sim e muito. Os brasileiros treinam de uma forma e quando chegam a um campeonato mundial são prejudicados, pois as regras não são as que eles conhecem. Eu mesmo passei por um campeonato mundial em Wenzhou – China, quando o italiano golpeou acima dos meus joelhos, sem saber, reclamei ao árbitro e ele me chamou de “mole”. Eu ensino os meus atletas com as regras chinesas, pois, se um dia tiverem a oportunidade de me acompanhar para um evento mundial na China, já estarão adaptados às regras e não ficarão perdidos, pois já vão estar nervosos e encantados por estarem em um evento mundial.

ES Kung Fu – Na sua opinião, o que precisa ser feito para que os lutadores, as federações e as confederações brasileiras se adequem às regras usadas pelas confederações chinesas?
Shifu Diego – Uma resposta que pode dar polêmica, na minha opinião. Os presidentes de federações e confederações precisam estar sempre informados e atualizados com as regras, ter uma ligação com a China, ter representações de linhagem autêntica e querer colocar as mesmas regras para funcionar no Brasil.

ES Kung Fu – Aos poucos, o Shuai Jiao vem crescendo no Brasil. O que você acha que falta para o Shuai Jiao ter mais praticantes como o Sanda, o Wushu Moderno ou o Wushu Tradicional?
Shifu Diego – Fico muito feliz em ver que o Shuai Chiao vem crescendo bastante no Brasil. Eu venho buscando fazer com que o Shuai Chiao tenha atenção com divulgações, um bom marketing, vídeos em redes sociais com técnicas, histórias, etc. Infelizmente, o Shuai Chiao ainda não tem um grande público por culpa dos próprios Mestres de Shuai Chiao. Muitos Mestres se acham os poderosos, se acham como deuses, guardam para si os ensinamentos e obrigam seus alunos a serem assim. Recentemente, organizei um evento, a III Copa Filhos do Tigre e convidei todas as equipes de Kung Fu, principalmente as de Shuai Chiao, mas, infelizmente, 80% não compareceram. Muitos atletas e professores me mandaram mensagens se desculpando e falando que queriam participar mas, seus superiores não tinham autorizado, e os motivos foram que eu era de outra linhagem, as regras seriam chinesas, que eu me achava a celebridade do Shuai Chiao, etc. Acredito que, se os Mestres parassem com estas frescurinhas e se unissem, teríamos mais atletas na modalidade. No meu evento houve 30 lutas de Shuai Chiao, 20 lutas de Sanda e 10 de formas, estes Mestres precisam se unir como os Mestres de Sanda e formas se unem. Por isso estas modalidades têm muitos atletas, eles podem não se gostar, mas estão unidos mesmo se for para mostrar que sua equipe é melhor que a do outro.

ES Kung Fu – Shifu Diego, muito obrigado pela sua participação aqui no blog, estou honrado de poder “trocar umas idéias” com você! Para os leitores que quiserem saber mais sobre o Shuai Jiao ou conhecer melhor o seu trabalho, como eles podem entrar em contato com você?
Shifu Diego – Primeiramente, quero agradecer a Deus e, em seguida, quero agradecer ao Érik Souza pela oportunidade de participar no seu blog. Agradeço a todos que me acompanham em minhas redes sociais, agradeço aos meus patrocinadores, aos meus alunos e aos meus filiados. Para quem quiser saber mais sobre o Shuai Chiao, podem entrar em contato pelo WhatsApp (11) 99797-1763, através do site da Academia Filhos do Tigre de Shuai Chiao Kung Fu, Facebook Academia Filhos do Tigre de Shuai Chiao Kung Fu, Facebook Shifu Diego de Souza. Minha academia fica localizada em Taboão da Serra – SP.

Convite Especial: Eu, Mestre Diego de Souza, estou abrindo, em 2019, o Curso de Formação de Instrutores de Shuai Chiao – Kuai Jiao. Este curso de formação terá duração de 12 meses, com treinamento em um final de semana por mês (sábado e domingo) e com treinamentos presenciais na sede da Academia Filhos do Tigre, em Taboão da Serra – São Paulo, com carga horária de 3 horas por aula. Os candidatos terão treinamentos direto comigo, terão treinamento técnico, teórico, treinamentos para combate, terão apostila de cada módulo e, de 3 em 3 meses, os candidatos passarão por exames de graduação. Sendo aprovados, os mesmos passarão para o próximo módulo. Não sendo aprovados, os mesmos terão que refazer o exame até serem aprovados. Ao término do curso de formação, o aluno receberá o certificado de instrutor reconhecido pela Academia Filhos do Tigre e pela Brazil Shuai Chiao Baoding Sanshou Kuai Jiao Federation. Para saber mais, entre em contato pelo número (11) 99797-1763.

Comentários

Veja Também:

Equipamentos de Proteção: Porque e Como Manter a Identidade Visual do Sanda

Por que você não pratica Kung Fu?

Entre em contato!


ATENÇÃO! Por favor, preencha todos os campos abaixo.

Seu Nome:

Seu E-mail:

Sua Mensagem: