Sanda no MMA com o Lutador João Oliveira


As modalidades de combate das artes marciais estão em alta na atualidade e tudo graças ao MMA. O MMA (Mixed Martial Arts) está cada vez mais em exposição nas mídias, com isso, muitas pessoas estão procurando e conhecendo as diversas artes marciais. Logo, o Kung Fu também está se beneficiando com essa onda, mais precisamente o Sanda que é a modalidade de combate desportivo do Kung Fu. Caso você não saiba o que é Sanda, também conhecido como Sanshou ou Boxe Chinês, CLIQUE AQUI e veja o artigo especial que fiz sobre esta modalidade.

Há vários lutadores de MMA que praticaram ou ainda praticam Kung Fu, mais precisamente o Sanda. É muito comum escutarmos pessoas falando que não tem Kung Fu no MMA, que não tem lutadores de Kung Fu no MMA, etc, etc, etc... Porém, essas mesmas pessoas imaginam o Kung Fu com golpes mirabolantes, acrobáticos, cinematográficos. Realmente, esse tipo de Kung Fu não existe no MMA, só em filmes mesmo! Para falarmos de Kung Fu no MMA, temos que falar de Sanda. O Sanda é a modalidade do Kung Fu onde os praticantes treinam socos, chutes e projeções, ou seja, o combate corpo a corpo propriamente dito. Grosso modo, sem falarmos de regras, a diferença do Sanda para o MMA é que no Sanda não existe a luta de solo, ou seja, o Jiu Jitsu.

Nada impede que um lutador de Sanda pratique Jiu Jitsu e comece a se aventurar no MMA. Lutadores como os russos Muslim Salikhov e Zabit Magomedsharipov, os norte americanos Alex Caceres e Roy Nelson, as brasileiras Bethe Correia e Bruna Ellen, entre outros nomes conhecidos, são oriundos do Kung Fu. Há vários lutadores que atuam no cenário nacional de MMA que também começaram a praticar artes marciais através do Kung Fu. Mas antes de trilhar esse caminho, é necessário que o praticante de Sanda conheça as regras do MMA, aprenda a lutar no solo, aprenda as “malícias” das artes marciais mistas, pois o MMA não deixa de ser outra modalidade de combate. E nada melhor do que pegar umas dicas com quem já passou por essa experiência, já subiu no octógono e sentiu na pele as diferenças entre o Sanda e o MMA. Conversei brevemente com alguns lutadores de Sanda que também lutam MMA e eles me disseram como foi essa transição, além de dar algumas dicas para quem tiver interesse em subir no octógono algum dia.

Confira abaixo a conversa que tive com o lutador João Oliveira:

Nome: João Oliveira
Começou a treinar Sanda em: 2004 e Kung Fu desde 1997
Principais títulos no Sanda: Hexacampeão Brasileiro. Bicampeão Sul Americano. Bicampeão Pan Americano. Participou três vezes do Campeonato Mundial de Sanda.
Começou a treinar MMA em: 2012
Cartel no MMA: 9 vitórias / 0 empates / 3 derrotas
Títulos no MMA: Atual campeão da categoria peso pena (66kg) do evento Demolidor Fight.

ES Kung Fu: Porque você começou a praticar o Kung Fu? Quando você começou a competir? Conte um pouco da sua trajetória, da sua história, dentro do Kung Fu.
João Oliveira: Comecei a treinar Kung Fu por conta de ser uma criança muito agitada, e por isso minha mãe me inscreveu em uma academia para eu gastar mais energia, iniciei a praticar o Kung Fu em um projeto da Prefeitura de Bauru com a equipe Ass. Garra de Tigre de Kung Fu. Fiz a minha matrícula no dia 5 de abril de 1997, treinava apenas aos sábados, com o tempo treinava todos os dias inclusive de domingo, meu primeiro contato com a competição foi depois de 1 mês onde teve um evento comemorativo de 1 ano do projeto da Prefeitura. Fiz duas lutas de Kuoshu e ganhei as duas lutas, depois disso, o professor da equipe Richard Leutz me chamou para fazer parte da equipe de competição e, desde então, não parei mais de competir. Na época, lutava Kuoshu, mas com o tempo fui migrando para o Taolu por não ter a categoria que eu lutava, e só em 2004 que voltei a lutar oficialmente o Sanda.

ES Kung Fu: Em que momento você pensou que poderia ser um lutador MMA? Você já tinha a intenção de lutar MMA quando começou no Kung Fu?
João Oliveira: Nunca pensei que lutaria MMA, assistia muitos vídeos de lutas, acompanhava alguns eventos como Pride, UFC, entre outros. Em 2011, iniciei o Jiu Jitsu pensando em lutar MMA, mas por conta dos eventos pela Seleção Brasileira de Sanda, eu acabava deixando o Jiu Jitsu de lado para focar nos treinos e só em 2012 que tive a oportunidade de fazer minha estréia no MMA.

ES Kung Fu: Quais foram as dificuldades de migrar do Sanda para o MMA?
João Oliveira: A minha maior dificuldade foi a luta de solo e as entradas de quedas que tive que adaptar porque no Sanda, se você derrubar seu adversário e cair por cima dando as costas, não tinha problema, pois iria voltar a luta em pé. Já no MMA o adversário poderia pegar suas costas. Outra coisa que sofri era meu pescoço que deixava muito exposto nas quedas, mas com os treinos isso foi melhorando e deixou de ser um problema.

ES Kung Fu: Em uma luta oficial, quais as diferenças entre lutar Sanda e lutar MMA?
João Oliveira: O MMA tem a parte do “Show”, aquela hora que chama você para entrar no octógono, aquela música alta, jogos de luzes, todos olhando pra você, uns gritando a favor outros contra e se você não tiver psicologicamente preparado a adrenalina te consome inteiro e você já entra cansado para lutar, já no Sanda amador te chamam você entra e sai na porrada.

ES Kung Fu: Você acha que treinar Sanda e Jiu Jitsu é o suficiente para começar no MMA? Ou o lutador também precisa treinar outras artes marciais para poder migrar para o MMA?
João Oliveira: Acredito que sim, pois no Sanda tem socos, chutes e quedas que é um diferencial das outras modalidades de luta em pé, mas se o atleta busca ser um lutador completo, ele precisa do Boxe por conta da movimentação e dos socos, do Muay Thai que, além dos socos e chutes, te ensina a joelhada e a cotovelada que são golpes muito contundentes e, o mais importante, que é saber diferenciar as regras para montar uma estratégia.

ES Kung Fu: Que dicas você daria para um lutador de Sanda que sonha em lutar MMA?
João Oliveira: A minha dica é abrir a cabeça e buscar outras modalidades para somar no seu estilo de luta, no Sanda eu tenho pouquíssimos nocautes por conta do meu estilo de luta onde busco ser o mais preciso nos golpes e assim não deixando dúvidas para os árbitros laterais. Já no MMA, das 9 vitórias que tenho, 5 foram por nocaute, 3 finalizações e apenas 1 vitória por decisão dos árbitros. Hoje eu consigo mudar o meu estilo durante a luta, mas isso tudo graças às outras modalidades que busquei onde melhorei as minhas qualidades e superei as minhas dificuldades. E não se esqueçam de treinar a mente, busquem um psicólogo para fortalecer seu interior, a adrenalina do MMA é muito diferente do Sanda e ela pode te consumir antes mesmo de entrar na luta.

ES Kung Fu: João Oliveira, muito obrigado pela entrevista, foi uma honra contar com a sua participação aqui no blog! Que você tenha muito sucesso na sua jornada! Agora, para os leitores que quiserem saber mais sobre o seu trabalho, conhecer mais sobre você, como eles podem entrar em contato, aonde eles podem te encontrar?
João Oliveira: Primeiramente gostaria de agradecer você pela oportunidade de falar um pouco da minha história no esporte, e quem quiser dicas, ou perguntar algo mais sobre a minha transição para o MMA pode entrar em contato comigo pelas redes sociais (Facebook e Instagram) ou pelo Whatsapp (14-991330867).

Comentários

Unknown disse…
Parabéns!!...Vc merece!👏

Veja Também:

O “Estilo dos Cinco Animais”: Choy Lay Fut

Os Estilos de Kung Fu Mais Conhecidos

Entre em contato!


ATENÇÃO! Por favor, preencha todos os campos abaixo.

Seu Nome:

Seu E-mail:

Sua Mensagem: